Quando eu Devo Unir ou Separar a as Minhas Contas No Instagram?

Quando eu Devo Unir ou Separar a as Minhas Contas No Instagram?  – Olá Seja Muito bem vindo ao Blog Book News Hoje vamos falar de instagram. A conta do instagram cresceu e agora? o que devo fazer? Devo Compar Seguidores no Instagram? E Agora?

Aquela dúvida super comum: Lá no Instagram, marca pessoal, perfil pessoal, invisto na empresa, separo tudo. Como que eu faço essa dinâmica dos perfis na prática? Vamos entender isso melhor? Então vem comigo e se joga!

Quando eu Devo Unir ou Separar a as Minhas Contas No Instagram?

 

 

Só que antes da gente começar, tem convite especial: Clique e se inscreva para ficar por dentro de todo o conteúdo que eu compartilho por aqui, porque é grátis, não tem glúten e faz superbem. Nos momentos em que a gente vai discutir a união ou separação de perfis, o perfil pessoal e perfil profissional, quero contar para vocês uma história lá de nove anos atrás. De quando eu estava idealizando a minha empresa de consultoria e tomei a decisão por ter uma marca pessoal.

Então eu decidi, eu falei: “Gente, a metodologia quem vai criar sou eu.” Então toda a empresa vai prestar um serviço de alta complexidade e de forte dependência de quem cria a metodologia, de quem está à frente, desse consultor. Então é muito melhor para mim que eu tenha uma marca pessoal, porque isso vai facilitar a minha escalada.

Instagram cresceu é hora de Plaejar

Então toda essa questão do crescimento da empresa, da conquista de clientes, vai ser muito mais fácil, vai ser facilitada a partir do momento em que eu, Camila, emprestar de forma total à minha empresa, a minha imagem, a minha credibilidade, a minha autoridade, a minha expertise. Então quem vai aparecer sou eu.

Muitas pessoas vieram falar comigo naquela época preocupadas, dizendo assim: “Poxa, você vai ter uma marca pessoal!” “E vai parecer que é sempre uma EUquipe.” “Vai parecer que é sempre você.” “Vai parecer que a sua empresa é pequena.” “Você nunca vai poder sair da frente do negócio.” “Então vai ter EUquipe e não vai dar certo, porque é só você!” “Você tem que ter uma empresa!” “Uma empresa de consultoria com o nome lá que você definir e você é a fundadora!” “Então lá no LinkedIn você vai botar CEO e Fundadora, e coisas totalmente separadas.” Eu não acreditava nisso já a nove anos atrás, e falava: “Não, a minha empresa vai ter o meu nome!” Hoje crescemos, temos equipe, atendemos uma séries de vertentes e unidades de negócio.

Eu tenho diferentes vertentes de trabalho, e mesmo assim eu tenho uma marca pessoal. Então quando as palestrar começaram a acontecer, isso foi mais facilitado para mim. Então participo de eventos no Brasil inteiro. Isso é mais simples em função dessa marca pessoal. Então eu nunca tive esse negócio de perfil pessoal e perfil profissional. Para mim sempre foi uma coisa só. Por quê, gente? Porque eu sou uma prestadora de serviço, e eu quero nivelar todo mundo que está consumindo esse conteúdo quanto a isso. A prestação de serviço precisa do prestador. É um bem intangível. A gente tem dificuldade em “experimentar” o serviço.

Saiba Entender quando o Instagram virou um Négicio e precisa de gestão

Então a gente precisa botar essa camada de tangibilidade, de vida real. Para a pessoa: “Opa! Já sei do que eu estou falando!” Então o serviço vale para médico, para educador físico, nutricionista, fisioterapeuta, corretor de imóvel, maquiadora, micropigmentadora, fotógrafo. Todo mundo que presta serviço vive isso. Você empresta ao seu negócio a sua imagem, a sua credibilidade, autoridade e expertise. “Ai, Camila, legal! Fez super sentido!” “Então partiu unir todo mundo!” Só que muitas vezes nós temos exceções. Exemplo: você tem sócios. Então você tem uma empresa com sócios. Olha aí o exemplo dos escritórios de advocacia que colocam sobrenomes dos advogados, justamente para mostrar que: “Olha, todo mundo unido em parceria, mas todo mundo nivelado!” Pode acontecer de você não querer ter uma empresa que é uma marca pessoal, você tomar a decisão de falar: “Sim!”

Vai ter os seus prós, vai ter os seus contras, mas a minha decisão é por ter uma empresa apartada do meu nome. Nesse cenário, já falei aqui para vocês, nenhuma escolha é perfeita, a gente sempre tem que renunciar a algo, prós e contras faz parte. Eu já estou de largada dizendo que prestadores de serviço precisam ter estratégia de Marketing pessoal. Precisam aceitar que o conteúdo que geram nas redes “pessoais” entram sim na equação do profissional.

O prestador de serviço e eu vou dizer hoje, para todas as profissões, então você é um profissional, mas você é uma pessoa. Os seus valores não podem estar incoerentes, as suas atitudes não podem estar diferentes daquilo que você fala, então o que você fala, o que você faz, tem que ter coerência. Essa divisão de profissional e pessoal, é uma era pré-Google, pré celular na mão. Hoje a gente está no trabalho, a nossa vida pessoal invade, porque chega no WhatsApp, e o contrário também, você está no seu lazer, está no sábado, vem o cliente e te pergunta. Como essas fronteiras, elas não estão mais tão fixas, tão certas, todo mundo passa a ter que ter um cuidado especial com a sua imagem pessoal, com o seu Marketing.

Adquirindo credibilidade e autoridade no Instagram

Precisa entender que você é uma pessoa que empresta ao seu negócio essa credibilidade e autoridade, a sua imagem. Então nada de ser vida loka, de antemão você já está sabendo aqui. Não adianta ser vida loka e falar: “Não, aqui é o meu perfil pessoal fechado!” “Só tenho mil pessoas!” “Yeah! Aqui eu faço o que eu quiser!” “Ah, não, aqui é, sabe, garbo e elegância porque é profissional!” Você vai ter que ter coerência. Um exemplo prático que chegou até mim nessa dinâmica foi de um corretor de imóveis, ele disse: “Poxa, quando eu falo de imóvel, eu desagrado os meus amigos, então não consigo reter e o meu engajamento cai porque o meu perfil é muito baseado em amigos, naquela vida pessoal mesmo!”

Só que aí quando eu começo a trazer a minha vida pessoal para o âmbito profissional, é bom. Porque eu mostro que eu curto esporte, que eu gosto de viajar, que eu tenho uma família, que eu tenho determinados valores, isso é bom! Mas se eu começo a encaixar isso demais, eu começo a desagradar quem tem um objetivo muito claro, que é acompanhar o meu Instagram para ver imóveis. Então eu tenho uma tolerância, e é positivo colocar a vida pessoal? Claro que é! “Mas Camila, passou a dose e pronto, o meu resultado cai!” Exatamente aí que chegamos nesse momento maravilhoso. Não é nem só o que fazer, é o como fazer. Saiba dosar. Você deve mostrar o seu lado pessoal, mas você precisa fazer isso com estratégia da forma correta e na dose correta. Quero trazer um outro exemplo prático, uma profissional que me procurou e disse: “Poxa, eu sou fotógrafa e eu também sou maquiadora, e aí eu fico muito perdida, como que eu faço isso?”

Ela comentou que não teve jeito, fez estudo de persona, foi a fundo no público, analisou os resultados e percebeu que são públicos totalmente diferentes, e que para ela seria inviável essa união. Mas aí eu dei a dica, dei a sugestão, falei: “Poxa, por favor, trabalha a sua figura como de uma influencer!” Como a pessoa formadora de opinião para que as pessoas tenham aquela percepção assim: “Poxa, eu estou aqui no perfil da Camila, e a Camila é consultora, mas ela é infoprodutora, ela desenvolve produtos para internet, mas a minha relação é com a Camila!” Para que ela pudesse até se preparar para esse momento que vai extrapolando. Eu mesma vivo isso, então assim: “Poxa, Camila, mostra a sua filha!” “Camila, mostra o seu dia!” “Camila, mostra o seu treino!” “Mostra o seu look!” As pessoas pedem para ver mais da Camila, mas eu ainda assim tenho que saber dosar. Então hoje eu sou um exemplo parecido com o dela, então: “Sou uma digital influencer?” Não, sou uma profissional.

Mas que está colocando cada vez mais camadas, referentes a quem eu sou. Essa foi a minha dica para ela. Você provavelmente vai ter que ter os seus perfis separados, porque ela disse que isso cai muito o resultado dela e que os públicos são diferentes e têm tolerâncias e gostos e preferências, e umas mecânicas muito distintas, mas eu falei: “Prepara o teu terreno!” Porque se você tem áreas diferentes com sucesso, você tem uma grande oportunidade de trabalhar o seu Marketing pessoal e ser sobre você. Olha aí quantos exemplos a gente tem de profissionais que são super bem sucedidos, emprestam sua imagem à diferentes propagandas, à diferentes marcas, à diferentes conceitos.

Pessoa é YouTuber, ela vende livro, vende camiseta, daqui a pouco licencia um produto de maquiagem, não é assim que a gente faz com os YouTubers?

Com as celebridades? Porque não trazer esse enfoque para a gente? Deixei essa dica para ela para que ela aplique na realidade dela também. Uma outra coisa que a Globo não mostra quando a gente dá essas sugestões, assim: “Não, une tudo! Tudo é sobre você!” Assim como eu mesma dei essa sugestão para essa minha seguidora é que geralmente, quem está fazendo essa sugestão, essa indicação, é um infoprodutor. É alguém que vende o seu conhecimento na internet, que tem cursos online, que tem mentorias online. Então sim, é um tipo de profissional que é sobre a gente mesmo, eu me coloco aqui, é sobre a Camila, os valores, “eu quero me identificar com ela!” Que é diferente em profissões que tem isso mais atenuado, que foi o exemplo do corretor de imóvel.

Então olha como que é interessante a gente entender:

  • “Quem eu sou?”
  • “O que eu faço?”
  • “Como eu sou percebido?” “

Como o meu cliente toma a decisão da compra?”

Então no meu negócio, os meus clientes tomam a decisão de compra totalmente relacionado à minha pessoa. Em outros, isso é um pouquinho atenuado. O que eu estou querendo dizer aqui mais uma vez? Você vai ter que olhar com estratégia para os dois lados. Você não vai poder ser incoerente. E aí você passa a ter mais argumentos para assim, unir perfis. Trabalhar isso de uma forma unificada, porque dá muito trabalho ter dois perfis. Dá muito trabalho ter três perfis. A gente costuma não ter foco, e aí a gente foca nesse, aí esse cresce, e aí aquele cai, aí você dá foco no que está caindo, aí o que estava crescendo volta a cair. E aí fica muito difícil a gente equilibrar todos esses pratos, mas existem sim maneiras bem sucedidas de fazer isso, quero tranquilizar vocês também, dizer que sim, está cheio de exemplo de profissional bem sucedido, que tem a sua empresa, com perfil no Instagram que cresce um monte, e tem o seu perfil pessoal, mas que sim, o que eles têm em comum?

Eles emprestam a imagem ao negócio, eles aparecem, eles fazem com estratégia. Eles unem forças entre os perfis e muitos deles, quando é o momento, unem tudo. Mas não é só unir ou separar, é como fazer e como dosar. Espero que se torne muito mais fácil para você fazer essa união, fazer essa separação, mas principalmente fazer essa sinergia que é sucesso. Um beijo! Até a próxima!

 

Palavras Relacionadas

marketing, marketing digital, camila renaux, curso marketing digital, dicas marketing digital, instagram, perfis do instagram, perfil comercial instagram, estratégias de marketing, marketing pessoal, conteúdo humanizado, estratégias instagram, unir ou separar