Connect with us

Hi, what are you looking for?

Feira do Livro BrasíliaFeira do Livro Brasília

Finanças

7 Dicas para te Ajudar a Planejar melhor a sua vida

Olá! Rafael Seabra aqui do blog QueroFicarRico.com
e autor do livro Quero Ficar Rico, best-seller desde sua semana de lançamento e o livro
mais vendido do Brasil, segundo a revista Veja. No vídeo de hoje eu quero trazer um tema
que é um dos meus preferidos e talvez seja um dos vídeos mais legais que eu tenha feito
nos últimos tempos… Que é onde eu vou trazer para você sete
dicas infalíveis para você mudar de vida em 2018. Antes de eu falar especificamente dessas sete
dicas, eu preciso contar uma rápida história para você. Uma história de luta, de superação e de
mudança… Para que isso não só te inspire, mas te
dê uma base para entender ainda melhor as sete dicas que vou passar daqui a pouco. Então, vamos lá à história. “Rafael, venho através deste compartilhar
a minha mudança de raciocínio em relação às finanças pessoais. Achei interessante o progresso e minha disciplina
empenhada diariamente (diariamente mesmo!) para conseguir chegar ao meu objetivo. Meus olhos abriram em relação às finanças
pessoais de uma maneira extremamente dura. Resolvi compartilhar com você para que esse
texto chegasse a outras pessoas e para mostrar que é possível, sim, ter uma vida melhor
e mais educada financeiramente poupando com objetivo e, principalmente, com determinação. Nunca, até então, havia me preocupado com
finanças. Já até criei planilhas de orçamento, já
poupei dinheiro em cadernetas de poupança, mas nunca com tanta disciplina como estou
realizando há algum tempo. Sempre que tinha a oportunidade, tirava o
dinheiro da poupança e torrava tudo. Os meus olhos abriram quando eu tive um problema
de saúde familiar, um problema de internação com meu filho. Na realidade, foram duas internações, onde
uma delas foi uma cirurgia. Antes do fato, porém, eram sempre petiscos,
vinhos, refeições fora de casa, dois cartões de crédito, carro financiado, perfumes, coisas
supérfluas e todas as demais despesas mensais de uma casa. Em resumo, um combustível para que uma fagulha
surgisse com o vento trazendo de algum lugar e explodisse tudo. No ano de 2017, meu filho teve a primeira
internação e eu não tinha condições de pagar algo além disso, caso ele não tivesse
plano de saúde. Graças a Deus, ele tinha plano de saúde,
mas na primeira internação as coisas andavam um tanto apertadas. Porém, na segunda internação e após a
realização da cirurgia, eu já estava completamente endividado e sem condições para comprar
um remédio para quando ele saísse do hospital. Graças a Deus, eu não precisei comprar remédios
caros após a cirurgia. A cirurgia foi um sucesso e hoje ele está
ótimo. Estava com dívidas consideráveis e as maiores
eram com cartão de crédito, todos, inclusive, bloqueados. Um deles estava com uma dívida de 7.500 reais
e o outro 3.800 reais. Quando meu filho estava internado, eu tive
a luz e perguntei para mim mesmo. Se meu filho precisar de algo fora do hospital,
de um tratamento que o plano não cobre ou algo do tipo, como ele conseguirá realizar? Essa pergunta me fez mudar completamente meus
hábitos e estou levando comigo para sempre. Saí daquele hospital com um propósito de
vida completamente diferente do que estava levando. Fui trabalhar na outra semana e criei uma
planilha que tivesse todos os meus gastos, e passei a saber quanto eu ganhava e quanto
eu gastava mensalmente. Elaborei também um orçamento para assim
visualizar onde estavam meus gargalos. O primeiro corte foi nos supérfluos. Cortei TV paga, parei de cortar petiscos,
vinhos, comer fora de casa. Negociei o cartão de crédito e consegui
quitar minhas dívidas à vista com um excelente desconto. A dívida de 7.500 foi negociada para apenas
1.500 reais e a outra de 3.800 foi paga por apenas 800 reais, também à vista. Esse montante eu não tinha, mas consegui
pegar emprestado de um colega e pagando com 30 dias a uma taxa de juros muito mais baixa. Em paralelo, eu destinei 10% do que ganho
para investir meu dinheiro e passei a anotar tudo, tudo mesmo. Minha planilha é aberta todos os dias. Outro ponto muito importante: eu passei a
fazer bicos. Anotei tudo o que sabia fazer ou que me dava
bem e vi como conseguiria fazer um dinheiro com isso. Então, hoje eu continuo fazendo bicos. Dou aulas particulares. Faço churrasco em domicílio. Serviço de garçom. Lavo carro. O que eu acho que consigo fazer, eu me disponho
a fazer. Não olho cifras, coloco o dinheiro no meu
bolso. Essa frase foi importante para que conseguisse
captar e mudar de vida. Sem isso, dificilmente faria esses bicos,
principalmente por conta do meu ego. Eu sou contador e é até engraçado um contador
que cuida de finanças empresariais e pessoais estar numa situação dessa. Porém, tenho certeza que o consumo desenfreado
tem a ver com a cabeça e não com a profissão das pessoas. Passei a andar mais a pé, de bicicleta, skate. Deixei o carro na garagem. Parei de ir ao supermercado semanalmente. Vou apenas uma vez ao mês. Olho promoções. Dou preferência aos itens mais baratos e
não compro pela marca. Pratico três esportes: jiu-jitsu, skate e
surfe. Tive que dar um tempo no jiu-jitsu por conta
da mensalidade e estou à procura de alguma oficina de artes marciais ou projeto social
que não cobre pela arte. Quanto ao skate, ando em parques ou lugares
gratuitos. E o surfe foi a melhor e mais notável redução
de despesa, pois moro no Espírito Santo, a menos de 15 minutos dos picos de surfe. Geralmente eu ia surfar sempre de carro, mas
agora vou de bike e acabo praticando mais uma atividade física. Dessa forma, economizo na gasolina, não poluo
o meio ambiente, emagreço e surfo. Matei vários coelhos com uma cajadada só. Hoje, planejo tudo e não uso mais cartão
de crédito convencional. Uso um cartão de crédito pós-pago, pois
achei bem interessante esse tipo de cartão e me fez mudar minha relação de consumo. Definitivamente, não sei usar cartão de
crédito. Muitas pessoas não sabem usar o cartão de
crédito, mas não assumem que não sabem usar. Busco alcançar em alguns anos minha reserva
financeira. Acredito que em 12 meses alcançarei esse
objetivo. É difícil, mas é como perder peso. A luta e a determinação são diárias e
faz você atingir suas metas. Daqui a alguns anos, volto a escrever para
você sobre o alcance dos meus objetivos. De fato, as coisas ficaram muito mais claras
quando nós decidimos mudar hábitos errados e descobrimos onde estão nossos erros. Penso que educação financeira é algo extremamente
necessário e deveria ser ensinado nas escolas para que as crianças de hoje aprendam a administrar,
poupar e investir seu dinheiro. Não tive, no meu processo de mudança, um
conteúdo específico (artigos, vídeos, livros) que me ajudou diretamente. Simplesmente me conscientizei que precisava
mudar e, após essa mudança, passei a seguir educadores financeiros e canais na internet
que falam do assunto e vi que estava, e estou, no caminho certo. Não procurei culpados. Assumi responsabilidade por tudo isso. Antes, não dava importância para educação
financeira e cometi todos esses erros. Eu nunca disse não para o consumo desenfreado. Sempre usava cartão de crédito e, mesmo
tendo dinheiro na carteira, parcelava tudo no cartão. Não realizava um planejamento e comprava
muito por impulso. Tive que realmente me educar para sair dessa
situação tão complicada em que me enfiei por única e exclusiva culpa minha. Espero que esse relato ajude outras pessoas
a mudarem de mentalidade. Muito obrigado, Cleydson.” Eu fiz questão de compartilhar essa história
porque esse relato me marcou muito. Eu recebo vários depoimentos. Vários também são marcantes. Mas esse foi muito legal porque ele contou
todo o passo a passo. Tudo aquilo que fez ele dar o estalo para
ele se conscientizar. As mudanças que ele colocou na vida dele
e os resultados que ele tem obtido. Então, baseado até nessa história, quero
compartilhar com você, a partir de agora, sete dicas infalíveis para você mudar de
vida em 2018. A primeira delas é a conscientização. É você entender o porquê precisa mudar. Tudo mundo… “Vou mudar. Vou fazer isso. Vou fazer aquilo.” Mas não tem um motivo realmente forte para
que aquela mudança seja duradoura. Não só… “Vou mudar enquanto estiver enfrentando
esse problema e depois eu volto a agir do mesmo jeito.” O que você precisa para realmente se conscientizar? O que você precisa que aconteça na sua vida? No caso do Cleydson, ele relatou que foi o
momento em que o filho dele estava no hospital e ele pensou: “Se meu filho precisar de
algo, fora do hospital, que não seja coberto pelo plano… Como ele vai conseguir realizar?” Será que é necessário você chegar numa
situação extrema para você acordar… Abrir os olhos para a mudança? É preciso aplicar uma mudança em sua vida
financeira para você cuidar não só do seu futuro financeiro mas também da sua família. O que é preciso, de fato, para você se conscientizar? A conscientização é o primeiro passo para
a mudança. É entender o porquê de que você precisa
mudar. Não adianta nada você aprender sobre investimentos… Aprender os melhores hábitos financeiros… Se você não internalizar qual é sua principal
motivação para você fazer essa mudança. Pense um pouquinho sobre isso. Dica número dois: mudança de mentalidade
e de hábitos financeiros. Entendido que você precisa mudar, aí sim
você precisa saber agora o que mudar. Você começa eliminando aquelas crenças
que te limitam… Que limitam seu crescimento em relação ao
dinheiro… Fazendo mudanças na sua mentalidade… Formas como você vai agir com dinheiro a
partir de agora… E, principalmente, mudar seus hábitos financeiros. O que você precisa fazer, a partir de agora,
para ganhar mais dinheiro? Para cortar despesas? Para ter bons hábitos que vão fazer com
que você gaste menos dinheiro… Que você consuma menos. O segundo ponto é você entender justamente
isso. Que você precisa mudar sua mentalidade e
que você precisa adotar bons hábitos financeiros. A dica número três é a elaboração de
um orçamento. Como o próprio Cleydson relatou, depois que
ele acordou para a mudança e começou a mudar os hábitos financeiros dele, uma das coisas
que ele fez foi elaborar um orçamento. Ele anotava todos os gastos, orçava quanto
ele precisava fazer e acompanhava aquilo dali de perto. Com isso ele conseguia se planejar, saber
exatamente para onde o dinheiro estava indo. E ficava muito mais fácil, inclusive, ter
aquele raio-x da vida financeira. Facilitava o corte de gastos. Facilitava enxergar quando ele alcançaria
cada um dos objetivos que ele vinha buscando. Dica número quatro: reduzir as despesas. O próprio Cleydson mostrou exemplos muito
claros de como o simples fato de estar anotando os gastos dele e cortando os gastos supérfluos… Sabendo para onde o dinheiro dele estava indo… Podia fazer com que ele reduzisse as despesas. Ele colocou vários hábitos… Inclusive no relato que eu passei para você… De andar menos de carro, de andar mais de
bicicleta… Andando, ou de skate. Cortando aquilo que era supérfluo. Parando de comer fora de casa. Fazendo coisas muito mais por conta própria. Fazendo experiências. Procurando curtir mais experiências ao redor… Próximo à casa dele. Então, ele deu uma série de informações,
junto, obviamente, com a elaboração do orçamento… Uma série de informações, uma série de
novos hábitos que ele passou a adotar para reduzir suas despesas. Então, faça isso também na sua vida. Anote tudo que você gasta. Veja para onde seu dinheiro está indo. Realize cortes. Fica muito mais fácil você cortar supérfluos
quando você sabe exatamente para onde o dinheiro está indo. Então, reduza suas despesas. Dica número cinco: aumente sua renda. Isso também foi muito legal. Muitas pessoas acham que a única forma de
aumentar sua renda… Sei lá… Conseguindo uma promoção no trabalho, mudando
de trabalho ou coisa do tipo. E não, você pode buscar oportunidades de
renda extra. E não só aquelas rendas extras do tipo “dinheiro
rápido e fácil”, de marketing multinível… Ou sei lá, até de pirâmides financeiras
que tem por aí. Não. É de você simplesmente pegar aquelas habilidades
que você já tem… Conhecimentos que você já tem e buscar oportunidades
que têm uma renda extra. Tocar um projeto em paralelo que venha a te
dar uma renda extra também. Então… O que o próprio Cleydson falou… Ele disse, “Eu anotei tudo o que eu sabia
fazer.” Se você parar para pensar, talvez várias
das coisas que ele passou a ganhar dinheiro, talvez você pudesse fazer também. Então, anote seus gastos. Vai depender obviamente da sua realidade… Como você pode colaborar com a vida das pessoas. Pode ser com atividades mais corriqueiras,
pode ser com atividades mais elaboradas… Algum tipo de consultoria. Não sei em qual situação você se encontra. Mas certamente… Principalmente quando você deixa um pouco
seu ego de lado, você vai ter… Vai encontrar formas de aumentar sua renda. Outra coisa que o Cleydson falou que eu achei
muito legal foi: “Não olho cifras, eu coloco dinheiro no meu bolso.” Então, aquela questão… Tem muitas vezes que… “Tem uma oportunidade, mas o dinheiro é
pouco.” Tudo bem, o dinheiro é pouco. Mas você prefere… “É tão pouco que vou ficar em casa, não
vou fazer nada.” Muitas vezes, é simplesmente assim… “Já que não estou fazendo nada, então
vou lá, mesmo sendo pouco.” Depois vou me especializando, buscando novas
oportunidades. Buscando ocupar meu tempo com algo muito mais
produtivo e, aí sim, você pode buscar oportunidades melhores. Mas quanto mais renda você conseguir colocar
para dentro da sua casa… Para dentro do seu orçamento… Melhor. Você vai estar aumentando suas receitas,
diminuindo suas despesas e vai estar no final do mês sobrando muito mais dinheiro para
você. Então, é muito importante que você realize
esses cortes de gastos e esse aumento de renda para que sobre cada vez mais dinheiro para
você e, aí sim, você possa investir e acumular dinheiro para você buscar seus maiores objetivos
financeiros. Dica número seis: cuide da sua saúde. Isso é muito importante e não é só do
ponto de vista estético. É do ponto de vista financeiro e produtivo
também. Quando você cuida da sua saúde, você se
alimenta, você se exercita… Você se alimenta melhor, você se exercita… Você tem muito mais energia para poder aproveitar
seu dia. Tem muito mais energia para ser produtivo. Quando você cuida da sua saúde, você dificilmente
vai estar gastando dinheiro com atendimentos médicos, comprando medicamentos ou sofrendo
com algum tipo de doença e precisando se afastar do seu trabalho. Quando você investe na sua saúde, você
melhora todas as outras áreas da sua vida. Você se sente melhor. Você se sente melhor, inclusive, consigo
mesmo. Até do ponto de vista estético, é muito
legal quando você está com aquele corpo que você quis estar. Mas também do ponto de vista produtivo. Aquilo te dá muito mais energia. Aquilo aumenta seu bem-estar. Aquilo faz com que você se afaste cada vez
menos do trabalho, esteja cada vez menos doente ou gaste dinheiro com isso. Então, é muito importante que você busque
já, a partir de agora… Não precisa nem esperar chegar o novo ano… Busque melhorar sua saúde… Cuidar da sua saúde… Investir no seu bem-estar… Em exercícios e alimentação melhor. Com isso, você vai se sentir muito mais produtivo. Você vai cuidar muito melhor da sua saúde. Não só da sua saúde física, mas também
da saúde mental. Então, é muito importante que você cuide
de você mesmo e cuide da sua saúde a partir de 2018. Dica número sete: eduque-se financeiramente. Isso também é muito importante. Passando por todos esses pontos… Conscientização, as mudanças de mentalidade,
adoção de bons hábitos financeiros, redução de despesas, aumento de renda. Tudo isso você pode até tentar fazer por
conta própria. Mas quanto mais conhecimento você adquirir
e colocar esse conhecimento em prática, melhores vão ser seus resultados. Então é muito importante que você não
simplesmente pare… “Não, vou tentar tudo por conta própria,
sem buscar nada. Vou partir do que já tenho na cabeça ou
das poucas dicas que estou vendo por aí.” Não pare por aí. Busque cada vez mais educação financeira. Existem formas de você fazer isso… Você buscar gratuitamente. Tem muito material de qualidade pela internet. Tem muito material de qualidade aqui no canal. Tem muito material de qualidade no Quero Ficar
Rico. E eu sempre dou dicas gratuitas aqui para
você fazer isso. Você pode fazer isso. Você pode buscar seu conhecimento através
de conteúdos gratuitos. Muitas pessoas conseguem – como o próprio
Cleydson relatou – ter bons resultados fazendo por conta própria. Outras precisam de um apoio mais especializado. Precisam de algo mais direcionado ou de algum
tipo de acompanhamento. Está tudo bem também. O importante é que você perceba em que cenário
você está e que você busque o tipo de ajuda que deseja buscar. É provável que talvez você queira, sei
lá… Alcançar um resultado mais rápido… Alcançar um resultado em menos tempo ou com
menos esforço. Aí sim você vai precisar de material mais
direcionado, seja um curso, seja comprar um livro… Alguma coisa que vai te colocar no caminho
certo. Mas de ambas as formas é possível você
fazer isso por conta própria. Inclusive, até como forma de colaborar com
esse tema, vou dar mais uma dica de material gratuito. Tem uma palestra online em que eu conto como
eu alcancei… Como conquistei minha liberdade financeira
mostrando todos esses passos, passando por todas essas etapas. E como eu conquistei isso de uma forma cinco
vezes mais rápida do que a média das pessoas. Caso você queira assistir a essa palestra
online totalmente gratuita, você clica no primeiro link que está aqui embaixo na descrição
do vídeo. Clica lá, reserva seu email, escolhe o horário,
porque é uma palestra um pouco mais longa. Mas eu tenho certeza que isso vai ajudar ainda
mais a você mudar sua vida financeira imediatamente, a partir… Não só a partir de 2018, mas desde o momento
em que você decidir colocar e prática tudo aquilo que aprendeu. Essa era a mensagem que eu queria passar no
vídeo de hoje. Esse era o relato que eu queria passar no
vídeo de hoje. Eu tenho certeza… Até como o próprio Cleydson pediu para passar
essa mensagem a frente, porque vai ajudar outras pessoas. E eu tenho consciência de que isso pode sim
ajudar outras pessoas. Espero que tenha ajudado você. Caso você ache que foi útil, compartilhe
também com outras pessoas. É muito importante que você repasse essa
mensagem para outras pessoas para que a gente consiga, cada vez mais, educar financeiramente
o Brasil. Cada vez mais promover essa educação financeira
aqui no país. Eu vou ficando por aqui. A gente se vê no próximo vídeo. Tchau tchau.